A revista Vento e Água mudou!

Falamos agora de integração do eu, casa e planeta.

Mantemos o vento e a água no nome, como inflexões orgânicas
mas revista torna-se mais abrangente.

Deixou de ser baseada em dicas, técnicas superficiais ou na definição da palavra Feng Shui. 

Libertou-se do condicionamento ao dentro de casa e ao dentro de nós, pois o bem-estar humano não é o núcleo de todas as coisas. 

Aqui pretendemos imperfeições, profundidade e transgressões. Não há regras, mas existem padrões.
Há sentires e intuições.

Olhamos honestamente e resignificamos a percepção profunda.